Crea sito

Você NÃO é responsável pela alegria dos outros

Não temos o perfil deste canal. Caso você tenha maiores informações sobre o perfil deste Canal e queira nos fornecer, será um prazer colocarmos em nosso banco de dados.

Mensagem de Jennifer Hoffman – 16 de Julho de 2014

  • Por que é que a alegria que você pode sentir em sua vida é diminuída quando você encontra alguém que está triste?
  • Como pode ser feliz em um momento e, então, sentir-se culpado por estar feliz quando está ciente da dor de outra pessoa?
  • É errado você desfrutar da abundância e da prosperidade quando outros estão experienciando a limitação?
  • Você se envergonha do seu sucesso quando sabe que outros estão lutando?
  • Quais são as suas obrigações para com os outros e como pode ser um apoio e um farol de luz se você não compartilha do seu atual estado de ser?

É tudo uma questão de entender as suas obrigações de fazer e de ser.

A confusão surge quando você acredita que o seu Ser está centrado ao redor do que você faz e para que você seja a luz para os outros, deve também apoiá-los a refletir as suas próprias bênçãos.

Isto cria a crença de que você tem uma obrigação de fazer para os outros, de modo que eles possam desfrutar do mesmo tipo de vida que você criou para si mesmo.

Embora possa ser uma fonte de iluminação para os outros, você não pode ser a Fonte deles de iluminação.

Não há promessa de sucesso ou de abundância na vida, somente que há um potencial de desfrutar da abundância ilimitada e das bênçãos em todas as coisas, quando este é um caminho escolhido.

Suas obrigações de fazer, o que você faz em sua vida e com a sua vida, estende-se somente ao seu caminho de vida. Tudo o que você faz em sua vida lhe serve e ao seu aprendizado, à sua cura, ao seu crescimento e a sua transformação.

Sua jornada é a sua própria criação, é o seu próprio caminho de cura e tudo nele é parte do que você está fazendo para si mesmo. O que você faz para os outros ou no interesse deles, não lhe serve, a menos que seja feito em cumprimento de sua lição.

A lição mais poderosa que você pode aprender é que você não é responsável pela alegria ou pela dor dos outros, pelo seu aprendizado ou cura, e eles não são responsáveis pelos seus.

É esta obrigação que tem criado vidas de Karma e você as libera quando aceita que todos são soberanos em seu caminho, como você é no seu.

A jornada compartilhada da humanidade é uma experiência completa de ascensão e cada caminho individual dentro dela, leva à luz, da sua própria maneira. Nenhum caminho é mais importante e cada pessoa tem o seu próprio caminho para criar e seguir.

Sua obrigação de ser para a humanidade é estar em sua verdade, expandir-se para a expressão mais elevada de sua energia, e experienciar o pleno potencial de sua luz. Sua cura e aprendizado se tornam um potencial para os outros, quando eles podem entrar em ressonância com ele, por si mesmos.

Não há líderes: somente pontos de ressonância e de alinhamento.

Não pode haver seguidores quando cada pessoa reconhece que ela se conduziu na vibração e na frequência de luz que ela pode experienciar.

Há mestres e estudantes, mas cada pessoa é tanto o mestre quando o aluno e ambos ensinam e aprendem, é tanto aquele que experiencia, como a experiência, pois todos com quem estejam alinhados podem ter esta experiência.

Há uma profunda diferença entre piedade e compaixão e a sua obrigação se estende à compaixão, o que requer desprendimento e aceitação, mas não a energia da piedade, o que acontece quando você sente a responsabilidade pelo caminho dos outros, quando você acredita que tem uma obrigação de garantir a felicidade deles, ou de se sentir responsável para criar resultados que você acredita que eles não podem criar sozinhos.

Sua luz resplandece cada vez mais quando você está em sua energia mais elevada, experienciando a sua maior alegria, vivendo a vida mais gratificante que pode criar para si mesmo. É quando você é o mais capacitado, e também que é a mais poderosa fonte de luz do mundo.

Você tem uma obrigação com a Fonte que é parte do seu caminho, mas não de ser a fonte para aqueles a quem você julga como fracos ou impotentes.

Todos são uma centelha da luz divina da Fonte e todos são igualmente poderosos.

Ao ser uma luz para o mundo, a luz mais brilhante que pode ser e através da força do seu Ser, você iluminará um caminho para que outros possam escolhê-lo e você poderá experimentar a alegria e a satisfação que estão alinhadas com o seu próprio caminho de iluminação, de expansão e de ascensão.

Fonte : http://enlighteninglife.com/ –  Publicado no blog : http://stelalecocq.blogspot.com – Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

CONSULTE NOSSA AGENDA COM OS SERES DE LUZ

CLIQUE AQUI e SAIBA MAIS!